Campos sedia estudo internacional de medicamento para pacientes com Covid

Compartilhe esta matéria!
22 de abril de 2021
Escrito por: Redação

O prefeito Wladimir Garotinho visitou nesta quinta-feira (22) as instalações clínicas da Santa de Misericórdia de Campos, onde, em acordo de cooperação entre município, o hospital, e o Instituto Galzu, será realizada, de forma inédita no interior do Estado, uma pesquisa clínica internacional com medicamento para tratamento da Covid-19, em fase III, com autorização da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).


A pesquisa, patrocinada por indústria farmacêutica chinesa e representada pelo Instituto Galzu, envolverá o estudo do medicamento Azvudine em pacientes voluntários infectados por Covid-19, tendo como foco a capacidade de redução da carga viral.


A pesquisa em fase III com pacientes é resultado de longo caminho regulatório trilhado pelo Instituto Galzu, que começou desde novembro de 2020, resultando na aprovação em abril deste ano do protocolo por órgãos regulatórios como CEP, CONEP e ANVISA.


“Esperamos que os resultados fase III, já realizada na China, se reproduzam. No último relatório, o Azvudine conseguiu prevenir o agravamento da doença, todos os pacientes tiveram alta e não houve evento adverso grave”, explica a médica Paula Cabral, lembrando que o medicamento não é uma alternativa à vacina, mas sim uma proposta de tratamento para reduzir tempo de internação e efeitos mais graves.


A pesquisa terá sua divulgação oficial no dia 29 de abril, às 19h, no Trianon, de forma presencial, respeitando os protocolos sanitários, para apenas os envolvidos diretamente no estudo, com transmissão pela internet através dos canais oficiais do município. 


O Prefeito Wladimir Garotinho disse que a pesquisa “é um passo importante, inédito no interior do Estado, para contribuir com o combate ao Covid-19”, destacou o Prefeito, enfatizando os esforços do município no enfrentamento da pandemia, com abertura de novos leitos, vacinação, mas observando que a população deve seguir fazendo sua parte, respeitando medidas como a de distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos.


O INSTITUTO
O Instituto Galzu é um centro de pesquisa, ensino, ciência e tecnologia aplicada, formado por médicos, biólogos, enfermeiros e empresários e foi criado para desburocratizar as tecnologias existentes e aplica-las na prática.


O hospital escolhido para a pesquisa internacional do medicamento Azvudine no tratamento de pacientes de Covid-19 foi a Santa Casa de Misericórdia, que conta com infraestrutura adequada ao fluxo de internação dos participantes e otimização da logística de análises de biologia molecular. 


Segundo a médica Paula Cabral, presidente do Instituto Galzu, “Campos tem todas as características de um polo de pesquisa, com uma excelente universidade (UENF), faculdades na área da saúde, hospitais com caráter regional, não deixando nada a desejar para qualquer outro polo”.


O MEDICAMENTO EM TESTE
O Azvudine começou a ser desenvolvido em 2008 para o tratamento do HIV, sendo usado num estudo fase III por 1 ano sem eventos adversos graves. Azvudine também se mostrou eficaz para a Hepatite B e C, Enterovírus e Coronavírus.


A médica Paula Cabral explica que no caso do paciente com Covid-19, o Azvudine atua diretamente “na construção do vírus impedindo sua replicação”. A presidente do Instituo Galzu explica: “De forma ilustrativa, o vírus não é muito seletivo na sua escolha de nucleosídeos (tijolinhos de construção) para replicação e, assim, AZVUDINE (tijolinho fake) substitui este nucleosídeo tornando o vírus incapaz de se reproduzir”.
TRATAMENTO E ESTUDO EM CAMPOS
Serão selecionados 342 participantes, em estágio moderado, em um estudo duplo-cego, dividido em 2 grupos: grupo de tratamento e o grupo placebo. Ambos os grupos receberão o tratamento convencional, não havendo prejuízo ao participante. Ao contrário, pois este participante será assistido e monitorado intensivamente durante o estudo pela equipe assistencial e de pesquisa, realizando exames do protocolo convencional e também do monitoramento de eficácia e segurança da pesquisa a cada 48hs.


PARTICIPAÇÃO DOS PACIENTES NA PESQUISA
Poderão participar homens e mulheres maiores de 18 anos que atendam aos critérios de elegibilidade, ou seja, que estejam no estado moderado, com indicação de internação, e que após exames sejam selecionados para participar da pesquisa.


Agentes de prospecção irão até os hospitais de Campos e região, onde estão internados pacientes com Covid para identificá-los e convidá-los para o estudo. Aqueles que quiserem participar do estudo farão os exames e elegibilidade e, caso sejam elegíveis, serão transferidos para a Santa Casa de Misericórdia, onde serão acompanhados pela equipe do investigador principal, o diretor clínico da Santa Casa, Cleber Glória Silva.

Fonte: PMCG / Foto Reprodução