A viagem de Jorge Jesus para Portugal depois de ter confirmado teste negativo para o coronavírus não causa preocupação ao Flamengo em relação à renovação do contrato do técnico português. Mesmo que tenha deixado o Brasil junto a integrantes de sua comissão técnica, o Mister mantém conversas com o clube sobre a permanência após o vínculo, que se encerra em maio.

O preparador físico Márcio Sampaio foi para Portugal, mas mantém o controle à distância dos treinos e repassa tudo ao treinador, atento às medidas sobre o calendário brasileiro. Outro preparador físico da comissão, Mario Monteiro está no Rio de plantão para auxiliar os atletas.

Um dos cuidados do Flamengo é quanto a indefinição do calendário europeu, que poderia fazer clubes do Velho Continente buscarem novos treinadores caso a temporada seja encerrada. Em alta, Jesus pode ser um alvo, mas os envolvidos entendem que não é o momento de especular.

De modo geral, as conversas repetem ideias já conhecidos, como o cuidado com o estado de saúde e físico do elenco rubro-negro e possíveis melhorias no Ninho do Urubu.

Outro ponto é, como o futebol está paralisado, há uma indefinição sobre como ficarão os vínculos ativos no mercado. Caso haja consenso jurídico de que contratos terminados em 2020 (ou antes, como o caso de Jesus) necessitem de renovação automática, é uma brecha que o Flamengo pode apresentar ao técnico.

Jesus foi “liberado” para ficar com a família em meio às discussões sobre antecipação de férias do futebol brasileiro. Mesmo assim, a diretoria segue em tratativas com o agente Bruno Macedo, que já se reuniu com a cúpula do futebol por diversas ocasiões.

O empresário Giuliano Bertolucci também faz a ponte entre as partes na tentativa de se chegar a um denominador comum na parte financeira. Até agora esse é o entrave principal que impede que se pense em longo prazo.

O cenário de indefinição sobre o futebol também atrapalha pelo lado financeiro, uma vez que o clube faz contas para conter seus prejuízos pela falta de jogos, mas também pela ausência de perspectiva sobre quando tudo irá se normalizar.

A diretoria segue a postos e entende que o prazo do contrato até o fim de maio ainda é suficiente para que se chegue a um acordo de renovação com o técnico.

O vínculo, no entanto, se encerraria dentro da curva de subida prevista pelo Ministério da Saúde para a disseminação do coronavírus no Brasil. Desta forma, qualquer avanço significativo nas negociações depende de um sinal sobre em que momento o futebol vai voltar ao normal no mundo.

— Estava à espera de uma decisão, estudando e cuidando do planejamento de trabalho, mas, diante do adiamento de nossa volta às atividades, quero ficar ao lado de meus familiares nesse momento difícil, de enfrentamento de uma pandemia, que preocupa a todos nós. Rezo e torço para superarmos logo essa crise e eu poder voltar ao campo o mais breve possível — declarou Jorge Jesus.

No Brasil, próprio treinador precisou passar por três testes de coronavírus na última semana, mas o resultado final foi negativo. No Flamengo, o vice-presidente de consulados e embaixadas, Maurício Gomes de Mattos, testou positivo para o vírus e está em quarentena em Brasília. O dirigente foi o único caso confirmado da delegação rubro-negra a contrair a doença.

Fonte: Extra / Foto: Marcelo Cortes/Flamengo