Olá mamães! Tudo bem? E essa tal de tecnologia, é boa ou ruim? Então, no artigo desta semana, vamos falar um pouquinho sobre essa transformação em nossas vidas, que hoje é tão comum para nossos filhos.
Quem aqui tiver mais de 30 anos, há de concordar que passamos por uma transformação tecnológica. Me lembro bem, a primeira vez que toquei num celular e hoje, as crianças já nascem com um aparelho na mão e ainda fazendo “Self” (risos). Brincadeiras a parte, as crianças hoje em dia estão mesmo vivendo numa nova era e para alguns especialistas, passar muito tempo na frente de um celular, tablet ou computador, não é muito bom, mas fazer os pimpolhos entenderem isso não é fácil, não é mesmo? Agora me digam, e vocês? Como fazem em casa com as crianças, colocam limite de tempo, de dia?
Aqui em casa com a Larah, que tem 3 anos, não coloco limite de horas ou o dia, mas pela manhã, já digo, primeiro escovar os dentes, tomar o cafe da manhã, fazer a atividade da escola, aí sim, você pode mexer no celular. Tem vezes que ela aceita de boa, mas tem vezes que encrenca. Confesso que ela aprende muitas coisas assistindo a vídeos infantis na internet. As vezes solta umas palavras e frases diferentes que logo penso, aprendeu na internet (risos), mas aqui não da pra impedir.
Ela é uma youtuber e além de gravar vídeos para o canal, ela divulga o próprio espaço, o “Canal da Princesa Larah. Mas minha filha também assiste os vídeos de outras crianças.
Ah, seu filho (a) tem um canal? Aproveita pra deixar o nome aí nos comentários.

Liene Teixeira e Luiz Felipe

Já na casa da mãe do Luiz Felipe de três anos, Liene Teixeira (34), a alternativa é fazer os famosos “combinados”.
“Ele gosta muito de ver episódios e jogar, então, estipulo quantos episódios ou quantos jogos, geralmente são dois, aí quando acaba, tiro o foco e vamos fazer outra coisa”, conta Liene que é enfermeira e coach de mães.
Ela diz ainda, que sempre usa o recurso do celular para adiantar algumas tarefas.
“Eu sempre digo que mais tarde, deixo um tempo maior que é justamente o tempo que preciso”, acrescenta.
Mas o importante, é colocarmos mesmo limite de alguma forma, cada mãe sabe o melhor para seu filho, então veja qual a melhor forma de fazer isso e vamos usar a tecnologia a nosso favor, mesmo porque, da pra tirar muito proveito dela. Boa semana com seus pimpolhos e depois me contem como é aí na casa de vocês.
Colunista:  Vanessa Nascimento (Jornalista)
Fotos: Larah Nascimento – arquivo pessoal